FNQ realiza Assembleia Geral Ordinária de Membros 2019

14/06/2019

Presentes aprovaram os demonstrativos e elegeram novos conselheiros

A Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) realizou, na manhã de ontem, 13 de junho, sua Assembleia Geral Ordinária de Membros (AGO), que acontece anualmente junto aos seus filiados, para apresentação dos resultados financeiros do exercício do ano anterior e para falar das atividades desenvolvidas e a serem desenvolvidas pela FNQ. De forma presencial ou por meio de procurações, a Assembleia contou com 72 representantes das organizações filiadas, atingindo, portanto, o quórum exigido por estatuto.

Como de costume, juntamente com a AGO, foi realizada, também, a reunião do Conselho Curador da FNQ.

Neste ano, em cumprimento ao Estatuto da Fundação, aconteceu, ainda, a eleição da Chapa para a composição do novo Conselho Curador e Fiscal para o mandato 2019-2022.

Abertura - o presidente executivo da FNQ, Jairo Martins, fez a abertura do evento e conduziu a reunião do Conselho Curador, que aprovou a ata da reunião do dia 14 de abril de 2019.

Palestra – na sequência, os participantes prestigiaram a palestra de Roberta Negrini, fundadora da Joaquina Brasil, que realiza um importante e inspirador projeto de educação empreendedora para encarceradas, egressas do sistema prisional e, também, para mulheres que estão em severa condição de vulnerabilidade social.

Sob o título a “Reintegração social: transformando para a liberdade”, Roberta enfatizou a necessidade de um protagonismo social por parte de cada pessoa para que a reintegração social seja efetiva e gere bons frutos. “Além disso, temos de ter responsabilidade ambiental. Somos o único empreendimento no Brasil que possui descarte zero de sobras dos materiais utilizados no nosso projeto. Aproveitamos tudo”, comentou. Para saber mais sobre a Joaquina Brasil, clique aqui.

Jairo Martins comentou que o projeto da Joaquina Brasil não deve ser visto apenas como uma “bela estória”, mas que sirva de exemplo para que todos tomem a iniciativa, sem esperar apenas pelo governo, e façam alguma coisa para tirar o Brasil da penúria socioeconômica em que está inserido.

FNQ 28 anos – depois da palestra, Jairo Martins apresentou um balanço dos 28 anos de FNQ, que serão completados em outubro próximo, falando sobre o legado da Fundação e seu compromisso com o futuro do Brasil.

O presidente executivo da FNQ citou a necessidade de transformação constante que o cenário mundial impõe e as ações da Fundação com esse foco, como importantes projetos junto ao Sebrae, à Associação Brasileira de Distribuição de Energia Elétrica (Abradee), à Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos (Abraman), à Sabesp, ao Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), do Sistema OCB, entre outros, que visam à melhoria constante da gestão considerando todos os riscos e antecipando-se na proposição de soluções, gerando ótimos resultados e destaque diante do mercado.

PBGC – Jairo Martins apresentou, também, aos participantes, o Programa Brasileiro de Gestão para a Competitividade (PBGC), uma iniciativa da FNQ que visa à utilização da metodologia e plataforma de diagnóstico MEG para o desenvolvimento e a implantação de um programa nacional para a melhoria da gestão no País, abrangendo as esferas pública e privada, para melhorar a produtividade, gerar empregos e tornar o Brasil competitivo, resgatando, assim, a confiança interna e externa.

Homenagem às filiadas - como sempre acontece na AGO, a FNQ homenageia os filiados que completam 5, 10, 15, 20 e 25 anos de contribuição.

Neste ano, 19 empresas foram homenageadas – 14 com cinco anos e cinco com 15 anos. Sete representantes compareceram à Assembleia e receberam um certificado, em mãos, do presidente do Conselho Curador da FNQ, Osório Adriano Neto. Confira abaixo.

 

 

Análise de 2016 a 2019 - na sequência, Jairo Martins apresentou uma análise crítica da situação da FNQ, as medidas adotadas e as que estão em fase de implementação.

Entre os problemas enfrentados, o presidente executivo da Fundação explicou que, após um período de ascensão, de 2010 a 2015, houve uma queda substancial de receitas decorrente da redução de patrocínios.

Com a queda de patrocínios, a FNQ deu foco à renovação do portfólio, que foi incrementado com a realização de projetos, que requerem um maior tempo de negociação até o fechamento do contrato.

Paralelamente a isso, houve perdas de filiados da categoria de Mantenedores (com maior contribuição anual) e a redução de escopo dos projetos, por questões de restrição de verbas dos contratantes e a paralisação de projetos importantes do Sebrae, como o MPE Brasil, a Feira do Empreendedor, o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios e o Programa Sebrae de Excelência da Gestão (PSEG).

O presidente da FNQ ressaltou as principais ações da Fundação com vistas à redução de custos e ao aumento das receitas em curto espaço de tempo, como a venda de palestras e workshops para lideranças, conselhos e C-level; a mudança de sede para redução de mais de 50% de custos com a infraestrutura; a mudança do prêmio PNQ® para Melhores em Gestão®, com o objetivo de torná-lo mais inclusivo, porém, sem perder a qualidade e nem o rigor seletivo; capacitação de gestores de projetos para garantir a qualidade, o escopo, o cronograma e os custos dos projetos; a gestão diária do caixa, com negociação de pagamentos e escopo de contratos; a redução de 35 para 19 colaboradores no período de dois anos, sem reposição; entre outras.

Jairo salientou, ainda, aos presentes, ações que poder ser feitas por todos os conselheiros, como promover a Fundação junto ao seu público de relacionamento; serem os protagonistas da transformação que o Brasil precisa, cobrando justiça, ética, comprometimento e responsabilidade de todos, sem exceção; contribuir para melhorar a produtividade, a geração de empregos, o ambiente de negócios e, consequentemente, a competitividade do Brasil, e não apenas da sua empresa; entre outras.

Demonstrativo financeiro referente ao ano de 2018 – as demonstrações financeiras foram preparadas e contextualizadas, apesar das dificuldades vivenciadas, no pressuposto básico da continuidade normal das operações da Fundação, mesmo com números negativos.

Na AGO, o presidente executivo da FNQ afirmou que, “com o apoio imprescindível do Conselho Curador, Conselho Fiscal e da Diretoria, a Fundação está empreendendo diversas medidas voltadas ao cumprimento do plano estratégico estabelecido, a ser executado pela sua governança, impreterivelmente, a fim de atingir os resultados esperados das suas operações e, assim, reverter o quadro de prejuízos”.

Na ocasião, foi apresentado um plano de ação para que a situação financeira da FNQ, hoje negativa, seja revertida, com destaque para a implementação, em breve, de um novo portal, que trará grandes oportunidades diante da vitrine de produtos e serviços em cima da qual foi projetado.

Eleição da Chapa dos Conselhos Curador e Fiscal - a última ação da Assembleia foi a eleição da Chapa preliminar dos novos membros dos Conselhos Curador e Fiscal da FNQ. Com presença mínima de um terço dos filiados representados na AGO, entre presentes e procurações, os participantes aprovaram a chapa, além dos demonstrativos financeiros.

Agora, a FNQ tem um prazo de 15 dias para o fechamento da Chapa, com a coleta de assinatura no termo de posse de todos os eleitos para o mandato 2019-2022.

Em breve, disponibilizaremos o Relatório Anual 2018 para que todos possam apreciar tanto o balanço de atividades quanto o financeiro. Fique atento!

Assembleia realizada na sede da FNQ, em São Paulo/SP, no dia 13 de junho de 2019

Loading
Comentários
Para escrever comentários, faça seu login ou conecte-se pelo Facebook ou Linkedin
Carregando... Loading
Carregando... Loading